Perfumes que marcaram a cultura pop

Se você acompanha esse site, tenho certeza que é fanático pelo mundo dos aromas de perfume.

Mas você já se perguntou o que te levou a se interessar por perfumes?

Foi um presente especial que recebeu, um filme que marcou sua vida ou até mesmo uma pessoa que usava determinado perfume.

O fato é que a nossa memória é olfativa. A pandemia do novo coronavírus nos provou isso. Pessoas que perderam o olfato, que é um dos sintomas da doença, tiveram que fazer aromaterapia.

Que consiste em lembrar dos momentos que a pessoa viveu, para que ela pudesse sentir aquele determinado cheiro novamente.

A psicologia também informa que algumas pessoas rejeitam um certo perfume por causa de um trauma sofrido por quem o usava.

Causando irritações, pesadelos e em casos mais graves até mesmo problemas sociais.

A questão é que muito dos perfumes que conhecemos tiveram algum impacto em nossas vidas, seja ele positivo ou negativo.

E hoje iremos falar sobre alguns perfumes que marcaram a cultura pop e que com certeza influenciou você na sua maneira de viver.

Chanel Nº 5

No início do século (1900), o mundo da moda influenciava diretamente as fragrâncias e colônias do momento.

Com isso, além de produzir roupas icônicas e de alta costura, a Chanel lançou em 1920 o perfume que transformou uma grande estilista em uma verdadeira celebridade.

O perfume fez muito sucesso, principalmente após uma declaração ousada da atriz Marilyn Monroe para a revista Life Magazine em 1950.

Perguntada pela revista o que usava para dormir, ela respondeu “Somente algumas notas de Nº 5.” O que fez muitos a imaginarem nua e somente com o perfume.

Um tempo depois uma sessão de fotos feita pela Marie Claire foi feita em sua cama, semi nua e com um frasco do famosos Chanel N° 5.

O que fez aumentar as vendas drasticamente mesmo em meio a uma guerra mundial.

Elvis Presley fragance

Começa agora os próprios artistas a assinarem seus perfumes. Esse tipo de propaganda e marketing dura até hoje.

Artistas da música como Ariana Grande, Lady Gaga e Shakira ou até mesmo cantores e atores brasileiros, vieram de um conceito que foi instaurado por Elvis Presley.

O lançamento de perfume assinado por artistas, foi visto como um presente além da música e do trabalho da pessoa.

Isso aproximou mais o artista do público e os fãs realmente se sentiam especais em usar algo que foi criado para eles.

Charlie

Na era do rock e do movimento hippie, as décadas de 60 e 70 trouxe o clássico aroma floral.

Conhecido por muito como “cheirinho de vó” a mistura de aqua fresca e florais conquistou literalmente os seus avós naquela época.

Um exemplo disso é o Charlie. Levando o nome do fundador da empresa, Charles Revlon.

O perfume é voltado para as mulheres da classe trabalhadora. Nesse caso as notas estavam totalmente ligadas às ideologias da época.

A empresa além de apoiar alguns movimentos, ela também deu oportunidades de emprego para mulheres negras.

Nessa época as empresas começaram a lidar com situações na sociedade em que elas e seu público estavam inseridos.

Por mais que hoje seja normal ver algumas empresas se posicionarem politicamente, na época o risco aos negócios era grande, mas isso não impediu e o Charlie tivesse atingido o posto de o perfume mais vendido em 1976.

Poison by Christian Dior

Chanel não foi a única estilista a se aventurar no mundo das fragrâncias. Depois do grande sucesso do N° 5, outros começaram a adquirir suas assinaturas. Um deles foi seu concorrente das passarelas Christian Dior.

Na década de 80, diferente a década anterior, possui um clima bem extravagante. A música pop estava muito em alta e quanto mais exagerada, mais bonito e impactante a pessoa era.

Refletindo a cultura pop, a perfumaria começou a produzir perfumes mais impactantes. Desde o frasco até suas notas.

A duração começou a ficar mais longa e as primeiras notas mais intensas. O conceito era mais ousado e os nomes mais impactantes.

Convenhamos, um perfume de um grande estilista renomado com o frasco negro e chamado de “Veneno” (Poison) não passa despercebido nas prateleiras.

Por esse motivo, Poison de Christian Dior não somente foi um sucesso de crítica, mas também de vendas.

Angel

Uma curiosidade sobre este clássico dos anos 90, é que ele demorou 10 anos para ser fabricado.

É claro, que iria entrar para a história. Nesse período, as notas das fragrâncias começaram a importar coisas da gastronomia como o cheiro de canela, frutas e aromas mais doces.

Chegando ao ponto de ser comparado com perfumes infantis, o Angel é marcante e extremamente doce. Mesmo não conseguindo agradar a todos, o perfume sobreviveu a história é considerado um clássico.

Tease, by Victoria Secrets

Famosa nos anos 2000 por suas lingeries, a Victoria Secrets lança o perfume da sua marca. Com uma maior noção de impacto ambiental, os perfumes dessa época começam a repensar seus modelos de fabricação.

Marcas veganas, cruelty free, com fracos recicláveis e com sistema de refil transpareceram a preocupação da sociedade com relação á produção em massa das indústrias.

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on whatsapp
This error message is only visible to WordPress admins
Error: No users set.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *